foto

ARTE NO METRÔ

Em 1968 foi criado o Metrô de São Paulo, sendo sua primeira linha inaugurada em 1974. Hoje, são 64 estações, por onde circulam cerca de 4,4 milhões de passageiros por dia. O projeto Arte no Metrô está presente nas estações desde 1978 e tem como propósito inserir a arte no cotidiano das pessoas que transitam entre suas estações, como forma de enriquecer essa experiência diária, através do contato com obras de artistas representativos da arte contemporânea. Em seu acervo permanente, distribuído entre suas estações que compõem as suas cinco linhas hoje em atividade, temos artistas como Tomie Ohtake na estação Consolação, Amélia Toledo na estação Brás, Cícero Dias e Fernando Lemos na estação Brigadeiro, Lygia Reinach na estação Ana Rosa, Maria Bonomi na estação Jardim São Paulo – Ayrton Senna, Alex Flemming na estação Sumaré, Mário Gruber, Renina Katz, Marcelo Nitsche e Cláudio Tozzi na estação Sé, entre diversos outros. O projeto Arte no Metrô tem como um de seus critérios na escolha das obras a integrarem seu acervo a capacidade de dialogo com os conjuntos arquitetônicos e complementares que componham o projeto e o funcionamento da estação. Todo o conjunto de obras pode ser visualizado dentro da página do Arte no Metrô, no site oficial do metrô de São Paulo. Através da combinação entre as linhas e suas estações é possível fazer um passeio por este acervo com informações sobre as obras, seus realizadores e sua localização.

Além das obras permanentes, o metrô ainda abriga exposições temporárias, algumas vezes até como extensão de eventos sediados em instituições culturais, entre os quais, o FILE – Festival Internacional de Linguagens Eletrônicas.

T 3291-7800
www.metro.sp.gov.br/cultura-lazer/arte-metro/arte-metro.aspx
Visitação: Diariamente, das 4h40 às 24h. Acesso para pessoas com deficiência locomotora.

:: voltar

foto