foto

INSTITUTO DE ARTE CONTEMPORÂNEA – IAC

O acervo do Núcleo de Documentação e Pesquisa do IAC, ao qual o público terá acesso digitalmente e com agendamento prévio, contém cartas trocadas entre os artistas – como as missivas de Sergio Camargo e Arthur Luiz Piza, Rufino Tamayo, Mira Schendel, Willys de Castro, Hércules Basrsotti, Carlos Curz-Diez, David Medalla e Frans Krajberg, entre outros. Guarda, ainda, cerca de 70 projetos gráficos inéditos de Willys de Castro, nunca concluídos. E, também, aproximadamente 3 mil documentos entre fotos, material iconográfico, textos e clipping de Willys de Castro, e pelo menos 4 mil documentos fotográficos e 2, 5 mil documentos textuais, além da bibliografia e do clipping de Sergio Camargo.

Entre as obras desses artistas, o IAC conta com 12 peças em comodato, entre esculturas e desenhos, de Amílcar de Castro; 64 monotipias, além de desenhos e uma gravura de Mira Schendel; 6 peças e 10 estudos de Sergio Camargo e pelo menos 10 obras finalizadas de Willys de Castro, entre peças e esculturas de madeira.

Premiado em 2006 pela Associação Paulista de Críticos de Arte, na categoria Iniciativa Cultural, o instituto tem como principais objetivos: divulgar a trajetória destes artistas por meio de obras significativas de sua produção, tornando-as permanentemente visíveis ao público; formar e disponibilizar gratuitamente um centro de pesquisa com documentação bibliográfica e museológica dos artistas, armazenada em banco de dados; e promover ações educativas e intercâmbios culturais com museus e instituições de outros países com a mesma linguagem.

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
Rua Doutor Álvaro Alvim, 90, Vila Mariana, CEP 04018-010
T 3255-2009
www.iacbrasil.org.br
Visitação: Segunda a sexta, das 10h às 20h. Sábado, das 10h às 16h.
Visitas monitoradas. Metrô Vila Mariana. Ônibus nas proximidades.

:: voltar

foto